Periodontia

DOENÇA BUCAL QUE LEVA AO AMOLECIMENTO DOS DENTES

PERIODONTIA

A periodontia é a especialidade da odontologia que previne e trata das doenças dos tecidos de proteção e sustentação do dente, ou seja, da gengiva, os ossos e ligamentos que circundam os dentes.

Dependendo da gravidade do problema periodontal, ele pode ser classificado como gengivite ou periodontite.

GENGIVITE

É a doença periodontal que se limita à gengiva, a qual inflama devida à presença da placa bacteriana que se forma ao redor dos dentes e da gengiva. É de fácil tratamento.
Normalmente, com uma visita ao dentista para profilaxia, uma correta escovação e uso de fio/fita dental, a doença regride, uma vez que o osso e o tecido conjuntivo que sustentam os dentes ainda não foram atingidos.
Os principais sinais são: o sangramento após a escovação, e/ou uso do fio/fita dental, a gengiva levemente inchada, avermelhada e brilhante.
Se não for tratada, a gengivite pode progredir para uma periodontite.

PERIODONTITE

É a doença periodontal que atinge os tecidos de sustentação dos dentes. Nessa doença, o osso vai sendo reabsorvido devido à infecção. A gengiva “descola” dos dentes, formando a chamada bolsa periodontal. Nesse estágio, por se tratar de algo mais grave, consultar um dentista é importantíssimo, pois, se não tratada a tempo, a doença pode causar perda dos dentes. Depois de tratada, escovar os dentes e usar o fio/fita dental corretamente ajuda a prevenir essa doença e manter a saúde oral.

A CAUSA

A principal causa da doença periodontal é a placa bacteriana, que é um acúmulo de bactérias vivas e resíduos de alimentos que se depositam sobre os dentes, quando não é realizada uma boa higienização bucal.
Entretanto, existem outros fatores que podem agravar a doença, como fumo, estresse, alguns medicamentos, mudanças hormonais como no caso de mulheres durante a gravidez, diabetes e outras doenças que afetam o sistema de defesa do organismo.
Alguns grupos dessas bactérias, vale destacar, são bem agressivos e às vezes chegam até a corrente sanguínea em grande quantidade, podendo causar sérios problemas. Nessa situação, existe o risco de provocarem doenças sistêmicas como a endocardite bacteriana, uma inflamação grave no endocárdio, membrana que reveste internamente o coração. Essa doença, infelizmente, tem um alto índice de mortalidade. Como se vê, a falta de higiene bucal pode não apenas causar problemas dentários, como também colocar em risco a saúde.

OS SINAIS

Quem tem doença periodontal dificilmente sente dor. Os principais sinais são:
• Sangramento ao escovar os dentes e ao passar fio dental;
• Gengivas vermelhas e/ou inchadas;
• Dentes amolecendo ou mudando de posição;
• Mau-hálito constante ou gosto ruim na boca.

O TRATAMENTO

Inicialmente, o tratamento deverá ser feito pelo dentista. No caso de gengivite, a profilaxia (limpeza), a escovação e o uso de fio/fita dental regulares, regridem a doença.
No caso da periodontite, deverá ser feito um tratamento mais profundo como a raspagem, e em alguns casos, dependendo da gravidade, poderá ser necessário tratamento cirúrgico. Deverá haver um controle rigoroso, tanto pelo dentista como pelo paciente, através da escovação e uso do fio/fita dental.

A PREVENÇÃO

Prevenir a doença periodontal é muito fácil! Basta usar diariamente o fio/fita dental e ter uma escovação efetiva e regular. Nessa ordem: passar o fio com cuidado entre todos os dentes e em seguida escovar. Fio e escova removem as bactérias e impedem que se organizem sobre os esmaltes dos dentes. Não tenha pressa! Escove por 5 a 7 minutos sem aplicar muita força. Usar, de preferência, escovas com cabeça pequena e cerdas macias, que são mais eficazes e não danificam o esmalte dos dentes nem a gengiva. Uma boa escova dura cerca de três meses. Decorrido esse tempo, descarte-a e compre outra.
Em relação às pastas de dentes, use de preferência às que contém flúor na fórmula, pois ajudam a reduzir o risco de cárie. O paciente só deverá usar outros tipos de pastas se o dentista recomendar.
A higiene pode ser complementada com enxaguatórios bucais, de preferência também com indicação profissional, pois há diversos tipos. Esses líquidos têm ação indiscriminada sobre as bactérias, matando tanto as “boas” quanto as “prejudiciais”. Caso sejam usados por período prolongado, podem romper o equilíbrio da flora bucal. O melhor enxaguatório bucal é aquele que o dentista indica. Dê preferência aos que não contém álcool na fórmula, pois são menos agressivos à mucosa da boca.
As visitas regulares ao dentista ajudarão a prevenir essas e todas as outras doenças na boca.

A saúde é um estado de equilíbrio físico-psicológico-social, em que os seres humanos se relacionam bem entre si e com o meio ambiente. Quando esse equilíbrio é quebrado, há uma perda no bem-estar.


... Lembre-se : para cuidar da saúde, tem que começar pela boca!!