Ortopedia Facial

Trata-se de uma especialidade da odontologia, voltada principalmente as crianças e adolescentes (que ainda não completaram a fase de crescimento) com problemas funcionais de mastigação.

Esses problemas funcionais evitam o desenvolvimento fisiológico da mandíbula, maxilar superior e articulação temporo-mandibular (ATM), não deixando a criança mastigar de maneira correta, bloqueando os estímulos para um perfeito desenvolvimento facial.

O tratamento realizado através de aparelhos móveis, que estimulam e direcionam o crescimento tanto dos ossos que suportam os dentes, como da articulação (ATM), além é claro de ajustar os dentes nas arcadas.

É importante salientar que o desenvolvimento de qualquer parte óssea do nosso corpo é estimulado de acordo com a função muscular. Exemplo: Mordida unilateral: o desenvolvimento da face não será proporcional .

Durante o crescimento, o uso de aparelhos ortopédicos corrige o mau posicionamento tanto dos dentes como da articulação (ATM) , diminuindo mais tarde a necessidade de tratamento ortodôntico, ou o tornando mais rápido e bem menos desagradável. Além disso, em quase 100% dos casos, elimina-se a necessidade de extração de dentes que “não cabem na arcada”, que geralmente ocorre quando o adolescente não teve o desenvolvimento normal dos ossos faciais por falta de função correta durante a infância.

O tratamento deve ser iniciado a partir dos 7 anos. Nos casos mais severos, como mordida cruzada anterior, por exemplo, pode-se iniciar mais cedo, para que o estímulo de crescimento correto corrija esse problema.

Geralmente a mordida errada nas crianças pequenas são causadas por problemas funcionais, como uso de chupeta, dedo, mamadeira com bico inapropriado ou respiração bucal.

Pode também ocorrer uma interferência entre dentes inferiores nos superiores, que não deixam a criança “escorregar” a mordida, impossibilitando-as de usar o sistema mastigatório como se deve, causando com isso uma perda de função e consequente inibição de desenvolvimento. Nesses casos um ajuste dos dentes que estão travando a mordida , através de um desgaste seletivo, pode devolver a criança a função correta.

O ideal é trazer a criança precocemente para uma avaliação odontológica (a partir dos 5 anos), pois, em alguns casos, com uma pequena intervenção, se proporciona a criança a capacidade de uma mordida correta. Com isso o desenvolvimento do sistema todo transcorrerá naturalmente, prevenindo até a necessidade de uso futuro de aparelho ortopédico ou ortodôntico.